quarta-feira, 24 de setembro de 2008

21 anos, 21 filmes

Em busca do 21° nome para entrar para a seleta lista de filmes que marcaram a minha vida, vou tentar propor um esquema para tentar me decidir sobre qual deve ser mencionado. Escolher 21 apenas é muito dificil para o universo que é o mundo do cinema. Escolher 20 foi um sufoco, imagina ter que escolher mais um!!! Deixando bem claro que isso é por pura preferência pessoal e não uma escolha dos melhores de todos os tempos. São os filmes que mais mexeram comigo e cada um reage de uma forma. A lista completa e seus motivos de terem me emocionado você confere neste post: http://cinemarcos.blogspot.com/2008/03/20-anos-20-filmes.html

Vamos então aos 8 finalistas desse seleto grupo:

Batman - O Cavaleiro das Trevas
Com tantos filmes de quadrinhos sendo adaptados e heróis surgindo, foi um vilão que se denomina o agente do caos que roubou a cena em 2008. O Coringa ganhou quase que um filme solo jogando o Batman para escanteio. Não só isso, o filme é sublime, tem um roteiro bem desenvolvido e encanta visualmente. O melhor filme do ano? Talvez. Ou será que só achamos isso porque Heath Ledger virou um mártir do cinema?

Wall-e
Chorar no cinema é coisa rara pra mim. Mas esse filme, que é praticamente mudo, conseguiu essa façanha. A história de um robô que tem que se virar na Terra depois que os humanos se mandaram é encantadora demais pra não tocar uma pessoa. Em poucas palavras? Wall-e é lindo!! Oscar de melhor filme de animação, com certeza, se a academia nao puxar a sardinha de Hayao Myiazaki.

Ensaio Sobre a Cegueira
O filme que está prestes a consagrar Fernando Meirelles como o diretor brasileiro de maior sucesso comercial no mercado internacional. Além de ser uma obra-prima visual narrada com uma intensidade raramente vista no cinema. Agradando a alguns, desagradando a outros, o filme precisa ser visto com atenção e carinho, sem falar que é uma das melhores atuações de Julianne Moore desde Boogie Nights e Longe do Paraíso.

Mamma Mia!
Quem me conhece que diga. O musical não é um primor técnico, é constrangedor ver Meryl Streep beirando a terceira idade se requebrando em um telhado, mas o filme é incrivelmente divertido e engraçado. A trilha sonora embala qualquer pessoa que jure de pés juntos que não gosta do ABBA (Não tem quem não fique com a canção "Mamma Mia" na cabeça, isso foi comprovado). Só eu já vi três vezes, encaminhando-se para a quarta.

Cidadão Kane
Poxa, colocar Cidadão kane em disputa com Mamma Mia! é quase uma heresia, beirando a loucura. Aliás, porque esse filme já não estava na lista? Boa pergunta. Mas eis a chance de eu justificar a minha carreira de cinéfilo e ainda fazer o tributo ao jornalismo, profissão que eu amo. Sem falar que esse é simplesmente o melhor filme de todos os temps né...

Kill Bill Vol.1
Esse é do tipo ame-o ou deixe-o. Kill Bill é daqueles filmes que só quem entende a arte de se filmar desse jeito vai gostar. É empolgante, contagiante, as cenas de luta remetem a séries de tv japonesas dos anos 70, mas essa é a graça, o sange de mentira, a história absurda da noiva que foi morta mas volta para se vingar. Todo mundo queria matar Bill, fala sério.

Um Beijo Roubado
Wong Kar Wai entregou uma obra tão sensível no seu primeiro trabalho cinematográfico que é impossível resistir a ela. Quem não viu Um Beijo Roubado perdeu a oportunidade de se sentir apaixonado mesmo quando não está. E ter Norah Jones no papel de protagonista nem foi tão ruim assim, pelo contrário, foi uma grande escada para brilhantes atuações do resto do elenco.

Violência Gratuita
Naomi Watts de novo. Mas dessa vez ela está presa em um jogo onde o que vale é a sua própria vida. Tortura, física e psicológica, e muito terror marcam presença em Violência Gratuita, refilmagem de Michael Haneke do seu próprio filme. Uma obra prima perfeita que foge do convencional e choca e surpreende. É cinema, meus caros.

É isso, o resultado deve sair antes do dia 5 de outubro.

Um comentário:

Monique Andrade disse...

Adorei o desafio de escolher 21 filmes preferidos, mas confesso que esta é uma tarefa dificílima para mim. Já vi tantos e de estilos tão diversos que não saberia decidir.
Sobre a sua lista concordo com Batman - O cavaleiro das Trevas e com Blindness são maravilhosos e com belíssimas atuações.