quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

76...

Sim, consegui em 2009 ir mais vezes ao cinema do que em 2008! Foram 76 idas ao cinema, proporcionadas pela enxurrada de filmes que surgiram nesse ano. 2009 também teve um recorde, o ano em que eu assisti a mais filmes repetidas vezes. Vejamos: foram duas vezes com "Watchmen", "Slumdog Millionaire", "Benjamin Button", "Arrasta-me para o Inferno" e "Sete Vidas", e três vezes com "Harry Potter e o Enigma do Príncipe" e "Avatar".

O melhor são as memórias que eu tive desse ano. No geral ele foi bem ruim, mas no cinema é difícil não ter uma experiência boa, mesmo que pra passar o tempo. Nesse ano foi destaque:

- ver um amigo chorando na sessão de "A Troca";

-ver outro amigo entediado na sessão de "Sete Vidas";

-se emocionar pra valer vendo a performance de Kate Winslet em "O Leitor";

-cantar "Jai Ho" alto no fim da segunda sessão de "Quem quer ser um milionário?", porque você baixou a música depois da primeira sessão;

-rir muito com as expressões de uma amiga sua quando viu o "instrumento" do Dr. Manhattan em "Watchmen" e rir mais ainda quando ela fica escandalizada com a cena de amor entre o Coruja e a Espectral;

-Ir andando da minha casa até o Caxias Shopping pra ver "Alma Perdida" (e se arrepender profundamente depois);

-Aplaudir cada detalhe de "Ele Não Está Tão a Fim de Você";

-Ver "Eu Odeio o Dia dos Namorados" com seus melhores amigos e ter que aturar eles dizendo que esse agora é o "nosso" filme (passar a odiar mais ainda o dia dos namorados);

-ficar até o fim dos créditos de "X-Men Origens: Wolverine" e dizer no fim: "só isso?";

-assistir a "Star Trek" e constatar que foi um dos melhores filmes do ano - com certeza, o melhor blockbuster;

-Ficar boiando em "Heróis"

-Ver um ótimo filme para jornalistas no meio da decisão do STF de suspender a obrigatoriedade do diploma de jornalismo - "Intrigas de Estado";

-Mandar fazer uma camisa especialmente para a pré-estreia de "Harry Potter e o Enigma do Príncipe" (nunca mais usar a camisa depois disso);

-Ter vontade de torturar Sacha Bahron Coen no final de "Brüno";

-Me acabar de rir no melhor "terror" do ano, "Arrasta-me Para o Inferno";

-Conhecer um dos meus melhores amigos no dia em que fui ver "Os Normais 2";

-Me despencar até Botafogo para conferir a genialidade (e exaustividade) de "Anticristo";

-Ter vontade de matar a Ester de "A Órfã";

-Curtir cada pedaço do Festival do Rio 2009, com exceção de "Bellini e o Demônio" (Ô, filme chato!);

-Ter visto "Distrito 9" antes de todo mundo;

-Conseguir levar uma amiga sua para ver um filme de Tarantino, "Bastardos Inglórios" e mais do que isso: fazer ela adorar o filme!;

-Vibrar com "Michael Jackson's This is it" com uma dúzia de fãs na sua frente, vestidos com chapéus e luvas brancas.

-Delirar com o romance de "(500) Dias com Ela", no bom sentido;

-Sair quase surdo da sessão de "Lua Nova";

-Assistir "Do Começo ao Fim" e "Atividade Paranormal" e constatar que foi só barulho;

-Assistir a "Avatar" na estreia por causa de uma decepção amorosa e vomitar depois; assistir ao filme no dia seguinte com seu irmão, desta vez com a saúde perfeita; assistir com seus amigos no domingo pela terceira vez e ainda assim ver que valeu a pena cada segundo de espera. Pena que nao deu pra ver 3D mas 2010 tá aí.

Avatar

Avatar (EUA, 2009)
De James Cameron. Com Sam Worthington, Sigouney Weaver, Zoe Saldana, Michele Rodriguez, Giovanni Ribisi e Stephen Lang.

Depois de assistir ao filme várias vezes, acho que dá pra falar corretamente sobre ele. "Avatar" é simplesmente uma das coisas mais bonitas que eu já presenciei na história do cinema. O mais incrível é ver que quase nada do que aparece na tela é real. Tudo é digital, o que mostra não apenas o avanço da tecnologia para criar tudo com perfeição, mas a expansão criativa que sai da mente de um único homem: James Cameron. Ele imaginou todo um planeta novo, com ecossistema próprio, habitantes com sua própria lingua totalmente nova. O homem por trás de "Titanic" pode não ter feito o filme mais atraente, mas certamente fez uma obra-prima.

O filme conta a história de como os humanos se instalaram no planeta Pandora, no ano 2154, e começaram a explorar as riquezas do local. Para isso eles entraram em conflito com os habitantes do planeta, os Na'vi. O projeto Avatar foi desenvolvido por cientistas que querem manter um contato mais direto com eles. Então foram criados seres que são clones que misturam o DNA humano com o nativo. Assim, os cientistas podem se conectar ao Avatar através das redes cerebrais. Um dos "pilotos" de Avatar é o fuzileiro Jake Sully, que vai substituir o irmão gêmeo, que foi assassinado. É Jake quem começa a se infiltrar na floresta e conhecer mais dos Na'vi, percebendo que eles dão valor ao seu planeta e aos seus semelhantes. Jake então começa a ficar dividido entre ajudar o povo Na'vi a defender seu território e a completar o seu trabalho, enquanto humano.

Não há muito o que comentar. O filme apresenta um visual único, que não pode ser comparado a nenhum outro, até porque é totalmente original. A performance dos atores (enquanto humanos) é ótima, principalmente de Sam Worthington e Sigouney Weaver. Todas as cenas que envolvem os Na'Vi são encantadoras e é impossível não se apaixonar por Neytiri tanto quanto Jake se apaixona. As batalhas que acontecem no planeta Pandora são memoráveis e fazem do filme um clássico do século XXI. Resta saber quais as chances de "Avatar" nas premiações. Mas isso é coisa pro ano que vem.


Falando em ano que vem, "Avatar" nos dá muito o que pensar. O filme traz muitas outras lições sobre o Planeta Terra, sobre o meio-ambiente, sobre o capitalismo, entre outros. Mas acho que a principal lição que o diretor quis passar se resume em uma palavra: RESPEITO. Respeito pelo próximo, respeito pelas atitudes dos outros, respeito por nós mesmos antes do egoísmo. Lembrando de um velho ditado: "os nossos direitos terminam onde os dos outros começam". Então, comece a analisar e veja o quanto de respeito ainda falta nas suas atitudes.

Feliz 2010

Nota: 10

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Brittany Anne Murphy (1977-2009)

PRINCIPAIS FILMES:

2010 - Something Wicked (Something Wicked )
2010 -
Os Mercenários (The Expendables)
2009 - Abandoned (Abandoned)
2007 - Ramen girl, The
2006 - Dead girl, The
2006 - Noivo em fuga (Groomsmen, The)
2006 -
Amor e Outros Desastres (Love and Other Disasters)
2006 -
Happy Feet - O Pingüim (Happy Feet)
2005 - O segredo de Neverwas (Neverwas)
2005 -
Sin City - A Cidade do Pecado (Sin City)
2004 -
A Agenda Secreta do Meu Namorado (Little Black Book)
2003 -
Um Cão do Outro Mundo (Good Boy!)
2003 -
Grande Menina, Pequena Mulher (Uptown Girls)
2003 -
Recém-Casados (Just Married)
2002 -
8 Mile - Rua das Ilusões (8 Mile)
2002 - Sem limites (Spun)
2001 -
Os Garotos da Minha Vida (Riding Cars With Boys)
2001 -
Refém do Silêncio (Don't Say a Word)
2001 -
Jogada de Verão (Summer Catch)
2001 -
Paixões em Nova York (Sidewalks of New York)
2000 - Audition, The
2000 -
Medo em Cherry Falls (Cherry Falls)
2000 - Angels!
2000 -
Trixie (Trixie)
2000 - Common ground (TV)
1999 - Garota, interrompida (Girl, interrupted)
1999 -
Linda de Morrer (Drop Dead Gorgeous)
1999 -
Matemática do Diabo (The Devil's Arithmetic)
1998 - Falling sky
1998 - David an Lisa (TV)
1998 - Zack and Reba
1998 - A última cartada (Phoenix)
1998 - Bongwater
1998 -
Anjos Rebeldes 2 (The Prophecy II)
1997 - Tensão máxima (Drive)
1996 - Sem saída (Freeway)
1996 - Dupla acusação (Double jeopardy) (TV)
1995 -
As Patricinhas de Beverly Hills (Clueless)
1993 - Cartas marcadas (Family prayers)

domingo, 20 de dezembro de 2009

Modelo 2010 no Ar!

A Versão 2010 do "Cinemarcos" está no ar. Eu não gostava muito daquela outra mesmo!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Top 10 - Os filmes mais aguardados de 2009

Durante 2009, muitos filmes se apresentaram como sendo "O filme mais esperado do ano". Porém, levou exatamente o ano inteiro para que o legítimo "mais esperado do ano" chegasse às telonas. Ou alguém duvida de que esse filme seja "Avatar", de James Cameron? As razões para toda a festa que se faz em torno do filme neste dia 18 de dezembro já foram mais do que comentadas pelos blogs e sites especializados: efeitos especiais, técnica 3D e captura de performance, um mundo imaginário totalmente construido virtualmente e claro, o homem por trás de "Titanic". Vamos ver quais foram os filmes mais esperados de 2009, sendo que o primeiro lugar já foi revelado. Ah, em breve, a crítica de "Avatar"

10 - Michael Jackson's This is It (30/10/09)
Dir.: Kenny Ortega

Na verdade, o filme de Michael Jackson nem era para estar numa lista de 2009, já que a princípio não iríamos ver filme nenhum nunca. Mas a morte do cantor, no dia 25 de junho deste ano, começou a criar expectativas em torno do que seria feito com o material gravado dos ensaios do que seriam os últimos shows da carreira do Rei do Pop. Resultado: burburinhos, comentários e boatos, além de filas gigantescas no dia 30 de outubro para conferir as últimas performances de Michael.

**"This is It" iria ficar em cartaz apenas duas semanas, em algumas cidades restritas, mas o sucesso do documentário expandiu esse prazo em mais duas semanas em alguns locais. Infelizmente, ele não pôde ser considerado para muitas premiações nos Estados Unidos, por ter perdido o prazo de inscrição, como o Oscar.

09 - Do Começo Ao Fim (27/11/09)
Dir.: Alouizio Abrantes
Desde que o trailer e algumas cenas do filme foram parar na internet, não se falava outra coisa no cinema nacional: o filme com o Fábio Assunção que ia falar dos irmãos gays. O polêmico "Do Começo ao Fim" causou ainda mais burburinho cada vez que teve sua estreia adiada esse ano - e olha que foram algumas consideráveis vezes. Quando finalmente chegou, surpresa, um filme vazio de roteiro que mostrava a história que estava explícita demais em relações sexuais dos protagonistas. Toda a expectativa foi por água abaixo. Polêmica por polêmica sempre tem no Programa do Ratinho...

**O filme ia concorrer na mostra competitiva do Festival do Rio 2009, mas não ficou pronto a tempo. Dizem as más línguas que o filme encontrou um patrocinador que não quis se identificar para não ter o seu nome e nem o de sua empresa envolvido em toda a polêmica que o filme criou.
08 - X-Men Origens: Wolverine (30/04/09)
Dir.: Gavin Hood
O filme "X-Men: O Confronto Final" terminou de uma maneira tão abrupta que os fãs mal podiam esperar por um novo filme da franquia. O mundo, então, foi à loucura quando a Marvel revelou que seria produzido um filme solo do mais amado dos X-Men, o Wolverine. Junto a isso tinha a possibilidade de ver Hugh Jackman brilhando sozinho no papel que ele nasceu pra interpretar. A expectativa e a ansiedade dos produtores de colocar logo o produto no mercado resultou em um filme sem muitas novidades, com muitas histórias paralelas, mas que abre um novo leque de possibilidades para a franquia X-Men.

**"First Class" deve voltar a ter o diretor dos dois primeiros X-Men, Bryan Singer, e vai contar a história da primeira turma de mutantes combatentes do professor Xavier (isso mesmo, aqueles resgatados no fim de "Wolverine"). Agora, todas as expectativas que estavam sobre "Wolverine" estão agora sobre vilão do filme, "Deadpool", que deve ser o próximo a ganhar filme solo, antes mesmo de "Magneto".

07 - Star Trek (08/05)
Dir.: J. J. Abrahams.

O criador de "Lost" nunca escondeu a sua paixão pela série "Jornada nas Estrelas". Por isso, não foi surpresa quando ele foi contratado para dirigir o mais novo filme da franquia, o primeiro do novo milênio. Isso aconteceu durante as filmagens de "Missão Impossível 3"...em 2005! Daí se passaram quatro anos sem que o estudio e o diretor chegassem em acordos, até que finalmente o filme foi lançado, em 2009. E com que categoria foi lançado! Na minha opinião, "Star Trek" foi o melhor blockbuster de verão, possivelmente o melhor do ano.

** Esse é o primeiro filme da série em que os personagens principais não são interpretados pelos atores originais da saga Star Trek. A única exceção é Leonard Nimoy, que faz uma participação como o Spock do futuro, ou seja, ele mesmo. Nimoy não atuava nos cinemas desde 1991.

06 - Watchmen (06/03/09)
Dir.: Zack Snyder
"Watchmen" levou tanto tempo pra sair da gaveta, que era praticamente parte do arquivo morto de Hollywood. Muitos roteiristas chegaram a considerar a história em quadrinhos de Allan Moore infilmável. Era uma missão que, aparentemente, era impossível de realizar. Até que apareceu um visionário diretor que resolveru adaptar a Graphic Novel de Frank Miller, "Os 300 de Esparta". O resultado foi tão brilhante que Zack Snyder tinha que ser o homem certo para conduzir a adaptação. "Watchmen" é loooongo, chocante e maçante algumas horas, mas o resultado final é um espetáculo visual digno das histórias em quadrinhos. Saldo positivo entre mortos e feridos.

**O filme foi lançado em uma época um tanto quanto obscura no cinema, março, mês que não costuma lançar bons filmes no mercado. Ao mesmo tempo essa serve como uma preparação para o verão e um blockbuster de 3 horas talvez não se encaixasse no verão americano.

05 - Bastardos Inglórios (09/10/09)
Dir.: Quentin Tarantino

Outro que estava esperando uma chance de ver a luz do dia é "Bastardos Inglórios", filme de Quentin Tarantino que está sendo considerado por muitos como o melhor filme do diretor. Se é o melhor ou não, ainda não há como dizer. O que pode ser dito é que muitos esperaram ansiosamente para ver nas telas a história dos guerrilheiros americanos sedentos por arrancar cabeça de nazistas. No fim das contas, Tarantino vingou todo mundo, judeus e não-judeus, mesmo que apenas no cinema.

**O filme quase teve no elenco atores como Leonardo DiCaprio, Adam Sandler, Michael Madsen, Tim Roth e Nastassja Kinski. Alguns tiveram que recusar por conflitos de agenda, outros foram descartados por Tarantino. É o caso de DiCaprio, que iria interpretar Hans Landa, se o diretor não tivesse dado preferência a um ator alemão.

04 - 2012 (13/11/09)
Dir.: Roland Emmerich

O mundo vai acabar. De novo. Nós fomos avisados. Dessa vez a catástrofe tem data e tudo: 21/12/2012. Quer mais? Pela primeira vez o Brasil ganha destaque na catástrofe mundial (mesmo que em uma pontinha). Tudo isso levou multidões a aguardar fielmente a estreia de "2012", que tem efeitos especiais de tirar o fôlego de quem assiste. Apesar do dúbio final, o filme nem é de todo ruim. Tem uma galera que chia pra ele, mas que eles esperaram muito pra ver esse filme, ah, isso eles esperaram. Vai dizer que os cartazes com o Cristo Redentor sendo destroçado não chamou sua atenção? Lembrando também que o filme gerou um bordão exaustivamente repetido: "Ah, o mundo vai acabar em 2012, mesmo...".

**Apesar da apologia ao calendário maia, no filme essa referência aos antigos povos americanos é muito pouco explorada. O que se fala mais é de uma possível catástrofe climática originária do sol e do núcleo terrestre. O filme praticamente "esmaga" em 2012 uma série de teorias científicas e correntes religiosas que podem acontecer a qualquer momento, não exatamente em 2012.

03 - Harry Potter e o Enigma do Príncipe (15/07/09)
Dir.: David Yates

O sexto capítulo da saga Harry Potter era para ter saído em novembro de 2008. Então imagina a euforia dos pottermaníacos quando souberam que iriam ter que esperar mais seis meses por uma nova aventura cnematográfica do bruxinho. Ficaram loucos, é claro. Quando o filme saiu levou a multidão aos cinemas e mostrou o sexto capítulo, infelizmente inferior ao anterior, "A Ordem da Fênix". David Yates prometeu um filme mais "sexo, drogas e rock'n roll" (palavras dele) e entregou um filme que precisa ser redescoberto em DVD. Destaque para o crescimento de Draco Malfoy e de Gina Weasley na história, além de um Harry Potter mais maduro. Um ótimo treinamento para os dois últimos filmes da saga.

**Como todo mundo já sabe, o último livro, "As Relíquias da Morte" vai ser dividido em duas partes.O primeiro filme vai terminar no ponto em que Harry e Hermione são achados na floresta por Comensais. É possível que esses sejam os filmes com mais detalhes de toda a saga e cogita-se o mesmo sucesso de "O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei" - inclusive no Oscar!

02 - A Saga Crepúsculo: Lua Nova (20/11/09)
Dir.: Chris Weitz

Não importa se você gosta ou não de "Crepúsculo", o fenômeno é inegável. A saga escrtia por Stephenie Meyer exerce uma atração poderosíssima em adolescentes que lotaram os cinemas e fizeram de "Lua Nova" a maior bilheteria do ano (até agora). Os produtores do filme sabem do potencial que a franquia dos vampiros tem e é capaz de a saga se estender até além do quarto filme, "Amanhecer". Só podiam tentar fazer um filme melhor, porque "Lua Nova", apesar de mais maduro e melhor que o primeiro, ainda é um filminho para atrai adolescentes. Sendo esse o intuito, beleza. O problema é a saga querer levar seus filmes para um patamar mais sério, enquanto Robert Pattinson, Kirsten Stewart e Taylor Lautner vão parar nos quartos das meninas. Os filmes ainda são ruins, mas são fenômenos com certeza. Ano que vem tem mais.
**Conta-se que a diretora Catherine Hardwick não pôde dirigir o segundo filme da saga por conta de conflitos de agenda. mas muitos dizem que ela abandonou mesmo o projeto porque não queria entregar um filme tão rápido para o mercado, o que poderia comprometer sua visão da história. "Lua Nova" foi lançado um ano após "Crepúsculo".

01 - Avatar (18/12/09)
Dir.: James Cameron
Que me desculpem os pottermaníacos e os twilighters. "Avatar" é, de longe, o filme mais esperado do ano. Com efeitos especiais, milhões de dólares investidos e uma história mantida em um sigilo admirável, dadas as circunstâncias da circulação de informação do século XXI. Não deve ser um fenômeno semelhante ao da saga Crepúsculo ou dos anos de fidelidade construídos por Harry Potter. Muitos crítico inclusive desaprovaram o enredo, mas a grande maioria aponta "Avatar" como um dos maiores clássicos de James Cameron - se bem que ele só tem clássicos mesmo no currículo. Cameron inventou um planeta novo, com ecossistema próprio e habitantes únicos, que contam inclusive com seu próprio dialeto, inventado por um linguista de verdade! O diretor não poupou esforços para contar a história que queria e o sucesso deve se confirmar assim que a lista do ranking da semana for divulgada. Go Na'vis!

**A intenção inicial de James Cameron era rodar Avatar em 1999, logo após "Titanic". Entretanto na época os efeitos especiais necessários teriam um custo em torno de US$ 400 milhões, o que inviabilizou o projeto. James Cameron se convenceu de que os efeitos especiais tinham atingido a qualidade desejada ao assistir o personagem Gollum, em "O Senhor dos Anéis - As Duas Torres". "Avatar" é o primeiro filme a ser exibido no Brasil em 3D com legendas.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Vamos votar... nos piores!


Época de premiação, de saber quem foi o melhor nisso ou naquilo em 2009, não é? Pois o Cinemarcos quer saber: em um ano em que a TV Brasileira foi tão, digamos, patética, QUAIS FORAM OS PIORES ENTRE OS PIORES? É o que quer saber o II Worst TV Awards, que vai definir o que de pior foi produzido no ano de 2009. Parece fácil mas e até mais dificil saber o que é ruim e o que é horrível. Quer participar? Clique AQUI e envie os seus indicados, que no dia 3 de janeiro sai a lista de finalistas.


terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Oscar, Globos de Ouro e Afins - pensamentos divagantes...

Todo mundo começou a fazer as suas apostas e muitas listas de indicados aos principais prêmios do cinema americano já pipocaram por aí. É claro que, apesar da importância que todas essas listas tem para a indústria americana, todas elas são uma espécie de escada, cujos degraus vão dar no hall mais alto de Hollywood: O Oscar. Ou você acha que faz diferença um filme ser escolhido o melhor pelo National Board Review? Todos querem mesmo a estatueta do homenzinho dourado, que em 2010 vai ser entregue no dia 7 de março - adivinha quem mal pode esperar? o/

Saiu hoje a lista dos indicados para a segunda maior premiação da temporada, o Globo de Ouro, o que me fez pensar sobre alguns dos seus indicados. Por exemplo, Julia Roberts aparece na primeira lista que eu vejo, pela atuação no longínquo "Duplicidade". Alguém entendeu? Tudo bem, o GG premia atuações na comédia separadamente do drama, e o ano ficou lotado de dramas. Sandra Bullock apareceu com "A Proposta" e Meryl Streep foi indicada duas vezes, na mesma categoria! Apesar de amar Meryl Streep com todas as forças da minha alma, acho que eu daria o GG para Marion Cotillard, por "Nine", e olha que eu ainda nem vi o filme.

Mas nem era pra falar sobre o GG esse post. Estamos aqui reunidos para comentar os filmes que certamente estarão presentes na cerimônia do Oscar,a não ser que a Academia sofra mais um ano da sua convulsão catatônica que geralmente a acomete. Os mais certos de estarem abocanhando indicações são "Amor Sem Escalas" (título nacional ainda não engolido para "Up In The Air"), de Jason Reitman e "Guerra ao Terror", de Kathryn Bigelow. Os dois vem fazendo um barulho enorme e tendo chegado bem tímidos às retas finais das listas. "Amor sem Escalas" pode dar mais um Oscar a George Clooney, nome que aparece várias vezes como cotado. O filme ainda vem confirmando o favoritismo das suas coadjuvantes, Vera Farmiga e Anna Kendrick (por quem estou francamente torcendo muito). Jason Reitman pode até não ganhar na direção, mas dificilmente não irá levar no Roteiro Adaptado.

Como já disse, "Guerra ao Terror" é o filme surpresa do ano que pode bater todos os candidatos. Lançado diretamente em DVD no Brasil, o filme de guerra de Kathryn Bigelow pode levar vários prêmios técnicos também, como montagem, efeitos sonoros e fotografia. Bigelow também vem sendo apontada como um nome forte na direção.

Falando em nomes fortes na direção, por incrível que pareça James Cameron pode sumir no mapa esse ano. A megaprodução "Avatar", apesar de forte candidata, não me parece muito bem colocada. Até porque, segundo uma observação feita por mim de todas as críticas que eu li até agora, nem todo mundo concorda de que o filme seja um espetáculo narrativo tão bom quanto ele é visual. Também, precisa de muita coragem para contar uma história sobre um planeta que ninguém conhece, habitado por seres que ninguém nunca teve nem sombra de referência e gastando uma fortuna pra tudo isso. Desde "O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei" um filme de fantasia não chegava tão bem, mas Cameron pode ser desbancado por histórias mais sólidas e palpáveis e menos fantasiosas.

É o caso de "Preciosa", filme baseado na obra "Push", escrito por Shappire. A história da analfabeta Clarice "Precious" Jones ganhou o mundo após vencer o Festival de Sundance. A obra é comovente e triste e coloca dentro de um único ser humano zilhões de traumas adolescentes e humanos. Não apenas "Precious" está cotado para melhor filme, mas para toda e qualquer categoria possível. Gabourey Sibide, a protagonista, é uma das poucas certezas a figurar na categoria de melhor atriz, assim como Mo'Nique, na coadjuvância. Com menos chances, aparecem Paula Patton e Mariah Carey. Não duvide se "Precious" levar essa pra casa, seguindo o exemplo do vencedor do ano passado, "Quem Quer Ser Um Milionário?".

Tarantino e "Bastardos Inglórios" também estão dentro da disputa, mas não devem ter tantas chances quanto os de cima. Ao contrário do que aconteceu com Martin Scorsese e "Os Infiltrados", esse ano "Bastardos" não está sozinho e fica difícil para tarantino levar seu primeiro Oscar pra casa. Assim como Almodóvar, que está sempre no páreo, mas deve ter pouca notoriedade em premiações com "Abraços Partidos".

O musical do ano, "Nine", apesar de rechaçado por algumas críticas negativas, chega bem colocado também, sobretudo com suas atrizes. Penélope Cruz, Marion Cotillard e Kate Hudson estão no páreo pra uma indicação, assim como Daniel Day-Lewis, correndo para levar mais um Oscar. As canções, o forte de "Nine", também devem fazer bonito na cerimônia do Oscar, então prepare-se para bons números. As canções "Cinema Italiano" e "Be Italian" já foram citadas em algumas listas, mas muitas outras podem aparecer. Será que Rob marshall leva uma indicação na direção também?

"Invictus", "O Desinformante!", "A Single Man", "A Serious Man", "Simplesmente Complicado", "Se Beber, Não Case", "(500) Dias com Ela", "Entre Irmãos", "Distrito 9", "Julie e Julia" e "The Messenger" devem ser bem colocados também em alguma categoria, assim como os estrangeiros "Un Prophét" e "A Fita Branca", esse espera-se que leve a estatueta de Melhor Filme Estrangeiro, já que o filme levou a Palma de Ouro em Cannes. Mais uma vez, não deve ser visto nenhum sinal de Lars Von Trier e "Anticristo" deve ficar de fora.

Pra animação, a hegemonia da Pixar não está querendo dizer muita coisa não. Se "Wall-e", que é "Wall-e", não foi indicado a Melhor Filme, "Up" também não deve ser. Isso pelas regras normais. Como esse ano o Oscar tem 10 vagas para Melhor Filme, tudo pode acontecer.

Já na categoria Filme de Animação, "Up" até é o favorito, mas não é o único. "Coraline e o Mundo Secreto" também corre firme (firme mesmo) no páero, ao lado de "O Fantástico Sr. Raposo", "Tá Chovendo Hambúrguer" e "Ponyo", de Hayao Myiazaki. Pouco menos chances tem "A Princesa e o Sapo", "Planeta 51" e "A Era do Gelo 3". Apesar de amar "Up", não vou achar ruim se "Coraline" ganhar não, só pra variar um pouco as coisas.

Faltou algum? Esqueci algum? Deixe seu comentário e diga o que achou e quais os seus favoritos ao Oscar 2010. Torço para "Amor sem Escalas", "Bastardos Inglórios", "(500) Dias com Ela" e "A Fita Branca". Vamos esperar pra ver.

Veja os indicados para o Globo de Ouro 2010

Saiu há poiuco a lista oficial dos indicados ao Globo de Ouro, o melhor termômetro para o Oscar. O Globo de Ouro é considerado mais justo, por especificar categorias separadamente entre comédia e drama. Esse ano, o líder de indicações é "Amor Sem Escalas", com 6, seguido por "Nine", com 5 indicações. Além disso, o Globo de Ouro premia também os melhores da televisão. Veja a lista completa dos filmes indicados:

Melhor Filme - Drama
Avatar
Guerra ao Terror
Bastardos Inglórios
Preciosa
Amor sem Escalas

Melhor Atriz - Drama

Emily Blunt - The Young Victoria
Sandra Bullock - The Blind Side
Hellen Mirren - The Last Station
Carey Mulligan - Educação
Gabourey Sidibe - Preciosa

Melhor Ator - Drama
Jeff Bridges - Crazy Heart
George Clooney - Amor sem Escalas
Colin Firth - A Single Man
Morgan Freeman - Invictus
Tobey Maguire - Entre Irmãos

Melhor Filme - Comédia ou Musical
(500) Dias com Ela
Se Beber, Não Case
Simplesmente Complicado
Julie & Julia
Nine

Melhor Atriz - Comédia ou Musical
Sandra Bullock - A Proposta
Marion Cotillard - Nine
Julia Roberts - Duplicidade
Meryl Streep - Simplesmente Complicado
Meryl Streep - Julie & Julia

Melhor Ator - Comédia ou Musical
Matt Damon - O Desinformante!
Daniel Day-Lewis - Nine
Robert Downey Jr. - Sherlock Holmes
Joseph Gordon-Levitt - (500) Dias com Ela
Michael Stuhlbarg - Um Homem Sério

Melhor Filme de Animação
Tá Chovendo Hambúrguer
Coraline e o Mundo Secreto
O Fantástico Sr. Raposo
A Princesa e o Sapo
Up: Altas Aventuras

Melhor Fillme Estrangeiro
Baaria (Itália)
Abraços Partidos (Espanha)
La Nana (Chile)
Un Prophét (França)
A Fita Branca (Alemanha)

Melhor Atriz Coadjuvante
Penélope Cruz - Nine
Vera Farmiga - Amor Sem Escalas
Anna Kendrick - Amor Sem Escalas
Mo'Nique - Preciosa
Julianne Moore - A Single Man

Melhor Ator Coadjuvante
Matt Damon - Invictus
Woody Harrelson - O Mensageiro
Christopher Plummer - The Last Station
Stanley Tucci - Um Olhar do Paraíso
Christoph Waltz - Bastardos Inglórios

Melhor Diretor
Kathryn Bigelow - Guerra ao Terror
James Cameron - Avatar
Clint Eastwood - Invictus
Jason Reitman - Amor Sem Escalas
Quentin Tarantino - Bastardos Inglórios

Melhor Roteiro
Distrito 9 - Neil Blomkamp e Terri Tatchell
Guerra ao Terror - Mark Boal
Simplesmente Complicado - Nancy Meyers
Amor sem Escalas - Jason Reitman e Sheldon Turner
Bastardos Inglórios - Quentin Tarantino

Melhor Trilha Sonora
Up: Altas Aventuras
O Desinformante!
Avatar
A Single Man
Onde Vivem os Monstros

Melhor Canção Original
"Cinema Italiano" - Nine
"I Want to Come Home" - Everybody's Fine
"I See You" - Avatar
"The Weart Kind (Theme From Crazy Heart)" - Crazy Heart
"Winter" - Entre Irmãos

Os vencedores serão anunciados no dia 17 de janeiro.

Lançamento de "Guerra ao Terror" em DVD foi precipitado?



O filme é de 2008 e foi lançado nos Festivais de Veneza, Montreal e Toronto. Mas, oficialmente, "Guerra ao Terror" só foi lançado em território americano em 26 de junho desse ano, após percorrer festivais por lá também. A estreia lá foi restrita, motivo suficiente para a distribuidora Imagem Filmes resolver lançar o filme diretamente em DVD aqui no Brasil. Pois bem, qual não foi a surpresa quando os nomes dos filmes cotados para as premiações começaram a pipocar e lá estava esse filme que ninguém nem tinha ouvido falar. E estava disponível em DVD no Brasil!

"Guerra ao Terror", da diretora Kathryn Bigelow ("K-19: The Widowmaker"), começou a ganhar notoriedade, sendo indicado e vencendo alguns premios importantes nos Estados Unidos, sendo considerado até mesmo para o Oscar - com grandes chances! Alguns especialistas comentam que foi precipitado o lançamento do filme em DVD por aqui e que o filme poderia fazer bonito nas bilheterias no começo de 2010, temporada dos filmes de premiação.

O problema é que a Imagem Filmes agora tem uma sinuca de bico. Como levar aos cinemas um filme que começa a se popularizar no DVD, justamente pelo aumento na procura por causa das premiações? Sem falar no número de downloads na internet e do compartilhamento de arquivos entre usuários. Quem teve a sorte de comprar o filme, sem saber do seu potencial, acabou terminando com um ganhador do Oscar em potencial na sua prateleira, sem nem gastar o preço de um lançamento decente.

Se "Guerra ao Terror" levar mesmo a láurea máxima do cinema, a Imagem vai ter sérior pesadelos na hora de dormir.

Ah, o filme: Nas ruas do Iraque, um grupo de exército do esquadrão de bombas trilha caminhos e áreas perigosas à procura de bombas e explosivos, desarmando e evitando uma quebra de caos. É o que fazem quando, numa situação complicada, o Sargento Matt Thompson acaba sendo explodido. Com a chegada de um novo Sargento, os jovem soldados precisarão seguir a nova liderança mesmo com a personalidade arrogante e destemida do homem que parece ter nascido para o trabalho.

No elenco, Ralph Fiennes, Guy Pearce, Jeremy Renner e Evangeline Lilly.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

15 filmes na disputa pelo Oscar de Efeitos Visuais

por André Miranda Do Blog do Bonequinho, no O Globo Online

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA anunciou nesta sexta-feira que 15 filmes estão na disputa pelo Oscar de efeitos visuais. São eles:

"Anjos e demônios"
"Avatar"
"Coraline e o mundo secreto"
"Os fantasmas de Scrooge"
"Distrito 9"
"Força G"
"G.I. Joe: A origem de Cobra"
"Harry Potter e o enigma do príncipe"
"Sherlock Holmes"
"Star Trek"
"O exterminador do futuro: A salvação"
"Transformers: A vingança dos derrotados"
"2012"
"Watchmen"
"Onde vivem os monstros"

Os três indicados na categoria serão anunciados em 2 de fevereiro. A cerimônia do Oscar está marcada para 7 de março.

Nota minha: A Academia tem um gosto estranho para essa categoria, então por mais que pareça óbvio que filmes como "Transformers", "T4" e "2012" levem essa, é bem capaz de eles acabarem premiando "Onde Vivem os Monstros"...

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Webcine - Direto do Túnel do Tempo


Gente, olha o que eu lembrei que existe! Um vídeo do programa de cinema que eu cheguei a apresentar nos longínquos tempos de TV Uerj Online! O programa era o "Webcine" e o programa era basicamente uma guerrilha pra produzir. Chroma Key, edição, produção de TP, gravação, tudo era muito complicado, ainda mais que eu fazia muita coisa sozinho mesmo, com a ajuda de apenas algumas pessoas, já que a maioria da galera tava bem ocupada com o restante da programação da TV. Ah, bons tempos que não voltam mais... mas quem disse? Tô bem pensando em fazer o Webcine de novo, por conta propria! TV Cinemarcos!!!!


Enquanto isso não vem, dá uma olhada no programa n° 1!


sábado, 5 de dezembro de 2009

"Ela Nem Sabe que Eu Existo" - mais de 1000 acessos

O curta "Ela nem sabe que eu existo" passou dos 1000 views no Videolog! Uma pena que no Youtube ele ficou sem som, por conta da trilha sonora utilizada. Tudo bem que o filme é mudo, mas a trilha sonora é a alma do filme! Enfim, no Videolog tem som e queria agradecer a todo mundo que assistiu ao filme. Também quero agradecer a equipe maravilhosa que trabalhou comigo e que ajudou a divulgar o filme.

Agradecimentos especiais a Hugo Mirandela e Carol Mulatinho, os melhores protagonistas que um diretor iniciante poderia querer. à Layse Ventura, por sua contribuição criativa (mesmo que ela não saiba) e pela atuação. À Carmen Lúcia, por ter emprestado algumas horas do seu dia pra participar conosco. À equipe de produção Jéssica Baptista e Thaís Montezano que, junto com esse pessoal todo aí de cima, são as melhores amigas que alguém pode querer.


O sucesso é nosso. O filme é nosso, de todos! Parabéns.


Assista de novo!


Anna Kendrick - "Saga Crepúsculo" no Oscar?

Mas nem nos sonhos mais distantes dos fãs da "Twilight Saga"! A Academia pode querer até ficar mais popular, mas acho que ela não vai se vender a tanto. Entretanto, uma atriz que se tornou mais conhecida através dos dois filmes da série pode chegar como uma das favoritas na categoria de Atriz Coadjuvante. Ela é Anna Kendrick, a personagem Jéssica, amiga de Bella Swann, que fica apagada e esquecida tanto em "Crepúsculo" quanto em "Lua Nova".

Kendrick interpreta uma executiva novata no trabalho de demitir pessoas no filme "Amor sem Escalas" título (risível) nacional para "Up in the Air", novo filme do ator George Clooney que está chamando a atenção geral lá fora. A atriz inclusive já está nas listas de apostas, tendo inclusive ganho alguns prêmios, como o de melhor atriz coadjuvante no National Board Review.

Embora enfrente alguns concorrentes com tanto peso quanto ela, como as atrizes de "Precious" Mo'nique e (acredite) Mariah Carey e Melanie Laurent, de "Bastardos Inglórios", Anna Kendrick pode surpreender e provar que a saga "Crepúsculo" pode produzir algo de bom.

Atividade Paranormal

Paranormal Activity
(EUA, 2007) De Oren Peli. Com Katie Featherson e Micah Sloat.

Hollywood tem estado em uma falência cerebral criativa terrível, tanto que a surpresa nas bilheterias americanas em 2009 ficou por conta de filmes independentes, todos eles cheios de expectativas. Cada gênero ganhou seu "filme independente do ano": a comédia ficou com "Se Beber, Não Case"; o romance ganhou "(500) dias com ela"; o drama lançou "Precious", ainda inédito no Brasil, mas que promete levar um Oscar pra casa. O terror se contentou com "Atividade Paranormal", que levou multidões aos cinemas com a pretensão de ser o novo "A Bruxa de Blair" - é incrível como todo ano aparece um. O problema é que o filme é bem chato em sua maioria, dando uma esquentada apenas nos momentos finais.

Katie é assombrada por atividades paranormais desde criança, mas as coisas pioraram depois que ela decidiu morar junto com o namorado Micah. Os fenômenos aumentam na casa e e Micah decide comprar uma câmera para filmar os ocorridos. Eles procuram a ajuda de um sensitivo, que identifica uma causa sobrenatural, que ele nao pode ajudar a combater. O casal então começa a ser cada vez mais assombrado pelos espíritos e Micah começa a investigação para ajudar a namorada, sendo que o problema talvez esteja dentro dela.

Eu estarei mentindo se disser que "Atividade Paranormal" não tem momentos de susto. Mas esses demoram muito a acontecer. Até lá o espectador ja se cansou com a história enfadonha do casal e de efeitos sobrenaturais que poderiam facilmente ser causados pelo vento. Os personagens são bem desempenhados, mas o roteiro não sustenta as atuações. Já no final, as coisas esquentam um pouco , mas o filme apresenta um final inconclusivo, daqueles de fazer voce se arrepender de ter gasto seu dinheiro.

No fim das contas, "Atividade Paranormal" foi mais uma onda de filme independente, mas não tem nem a metade do charme de "A Bruxa de Blair". O filme merece todos os méritos de ter entrado no circuito sendo feito apenas de forma caseira - o longa mal tem créditos finais! É uma forma de ver que é possível tirar o cinema experimental e mostrar que Hollywood precisa de mais atitude. Mas esse filme ainda não pode ser levado totalmente como exemplo. "[REC]", do qual sou incrivelmente devotado, ainda é infinitamente superior.

Nota: 5,0


sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Abraços Partidos


Los Abrazos Rotos
(Espanha, 2009) De Pedro Almodóvar. Com Penélope Cruz, Lluís Homar, Blanca Portillo, José Luiz Gómez, Tamar Novas, Rubén Ochandiano.

Um Almodóvar é sempre um Almodóvar. Não importa quão bom ou ruim o filme seja, seu trabalho sempre é reconhecido. É bom sempre ter isso na cabeça, porque "Abraços Partidos" não é o melhor trabalho do diretor, o que não quer dizer que ele seja ruim. Cheio de expectativas (assim como foi ano passado com "Vicky Cristina Barcelona", de Woody Allen), o filme chegou a ao Festival do Rio com lotação esgotada, pessoas amontoadas no chão do cinema para assistir e uma dúvida: qual é o melhor filme de Almodóvar até agora? "Abraços Partidos" abre essa questão, pois se achava que o diretor podia se superar um pouco mais nesse filme, o que não acontece. É um Almodóvar tão bom quanto todos os outros, mas não melhor que eles.

O filme narra a história de Harry, um velho cineasta que ficou cego após um acidente. Ele recebe a proposta de poder trabalhar novamente em um roteiro em parceria com "Ray-X", um produtor iniciante. Na verdade, "Ray-X" é filho de um antigo inimigo de Henry. Quando Diego, filho de Judit, produtora e amiga de Harry, fica na casa deste por alguns dias, um segredo do passado vem á tona. Porque Judit odeia tanto Ray-X? E qual a ligação de Harry na história? O que vai se sabendo aos poucos é o envolvimento de Harry com a atriz Magdalena, mulher do tal antigo inimigo, Ernesto Martel. Ernesto é um rico empresário que se apaixona por Lena quando esta ainda era sua secretária. Os dois se casam e logo se manifesta o desejo de Lena de ser atriz de cinema. Ernesto aceita, e até patrocina o filme. Mas é lá que Lena conhece Harry, ainda conhecido com o nome de Mateo Blanco. Os dois iniciam uma história de amor proibida, que vai ter impacto severo nos seus caminhos.
Um roteiro que só Almodóvar é capaz de escrever, sem falar na metalinguagem. Todos os elementos que o diretor gosta estão lá: as cores vivas da Espanha, mulheres fortes e batalhadoras, gays, histórias dignas de novela. Nesse filme ele escreve tudo com um tom tão intimista que prende o espectador a cada segundo com a história de amor de Lena e Harry. Só perde um pouco o brilho por deixar a ousadia de lado e optar pelo óbvio, que funciona mesmo assim. Ou será que pensamos assim por que é Almodóvar?

Penélope Cruz, musa do diretor, brilha mais uma vez no papel, que, ao contrário do que pensamos, é mais secundário do que principal. Quem se destaca mesmo na atuação é o ator Lluís Homar, intérprete de Harry Caine, já visto em filmes como "Valentim" e "Má Educação". Para responder a pergunta que fiz no começo, para mim o melhor filme de Almodóvar é "Tudo Sobre Minha Mãe", embora ame de paixão "Volver", "Má Educação" e "Fale Com Ela". Mesmo assim, seria impossível escolher o melhor do diretor. Ele e seu estilo são únicos.

Nota: 9,0

Glóra Pires pode se tornar a recordista de bilheteria no cinema nacional


Por Mauro Ventura, para O Globo Online

Falta pouco para Glória Pires se tornar a nova rainha do cinema brasileiro, título conferido informalmente a Xuxa no último Festival de Gramado, quando ganhou um Kikito especial em homenagem ao conjunto de sua obra. Por enquanto, a apresentadora é a recordista de público de 1995 para cá, a chamada Retomada, com 14,7 milhões de espectadores, contra 13,5 milhões da atriz de "Se eu fosse você".

Mas, a partir de 1º de janeiro, quando estreia "Lula, o filho do Brasil" (assista ao trailer) , tudo deve mudar. É bem verdade que dia 25 de dezembro será lançado "Xuxa em O mistério de Feiurinha", baseado no best-seller de Pedro Bandeira. Mas a expectativa do mercado é que o filme sobre a vida do presidente ultrapasse os cinco milhões de espectadores, transformando Glória no grande chamariz atual do cinema brasileiro.

Nada mau para uma atriz que sempre foi mais identificada com a TV, graças a papéis marcantes em novelas como "Dancin' days", "Cabocla", "Vale tudo" e "Mulheres de areia". Somente no ano passado ela rodou três filmes: "Se eu fosse você 2", que se tornou a maior bilheteria da Retomada, com 6.093.200 espectadores, "Lula, o filho do Brasil" e "É proibido fumar" (assista ao trailer) , que estreia esta sexta-feira. Glória vive mesmo uma fase gloriosa.

Do Começo ao Fim

Do Começo ao Fim
(Brasil, 2009) De Alouizio Abrantes. Com Julia Lemmertz, Fábio Assunção, Gabriel Kaufmann, Lucas Cotrim, Rafael Cardoso e João Gabriel Vasconcelos.

Antes de qualquer coisa, é importante dizer que "Do Começo ao Fim" é um filme corajoso. Só de o diretor ter pensado em contar a história que conta é preciso muita, mais muita coragem. O cinema brasileiro, apesar de escrachado em nudez e sensualidade, ainda não está preparado para quebrar paradigmas e encarar relações normais entre indivíduos do mesmo sexo, sem toda a pompa de uma parada gay. Pra piorar a situação, o diretor ainda fala de incesto homossexual, um assunto que não passa perto nem das mentes mais mirabolantes. Com tudo isso, é lógico que o filme iria gerar a polêmica que gerou. O problema com o filme não é nem com a questão do incesto, ou do homossexualismo. O problema do filme é que ele é só isso, mais nada. Nada de interessante.

Tomáz e Franciso são meio-irmãos criados sob o mesmo teto, vivendo com a mãe e o padrasto. Na infância, os dois são ligados e conectados de uma forma inexplicável, o que faz a mãe refletir sobre a intimidade dos dois. Quando crescem e se tornam homens livres, os dois assumem a paixão que sentem um pelo outro e deixam aflorar o amor que sentiam em um relacionamento puro e verdadeiro. Quando Tomaz, que é nadador, recebe um convite para treinar na Rússia, os dois vem a chance de se separarem pela primeira vez na vida, e precisam encontrar um modo de vencer a distãncia, sem perder o a mor e a fidelidade um do outro.

A história é polêmica sim, mas depois que os dois crescem, não há mais nada com o que se preocupar. Depois que o público se encontra com os personagens Tomaz e Francisco adultos, não adianta mais formular problemas ou soluções: o mundo se torna perfeito pros dois. Pense: eles são irmãos que se amam. Mas a mãe aceita, o pai aceita, eles não enfrentam nenhum problema de homofobia ou choque de realidade com a sociedade, não enfrentam problemas com a legalização do casamento gay, não tem amigos íntimos dando satisfação. Então, qual o propósito do filme? Que discussão ele levanta? Beleza, o garotos são irmãos e se amam, transam loucamente o dia inteiro e tudo mais. E?


O filme está até certo em deixar de lado as questões de certo ou errado. O problema é que não há problema! É tudo muito passivo (sem trocadilhos). O único graaande problema é quando os dois se separam e percebem que nao podem mais viver sem o outro. Mas tudo isso é solucionado facilmente pelo espectador na mesma hora em que o problema aparece pra eles na tela. E eles demoram mais uma hora inteira de filme para chegar a um resultado óbvio.

Dou todos os méritos ao diretor por contar a história e ainda mais mérito aos atores por fazerem esses papeis tão controversos - mesmo que pareça que eles vivem numa bolha. Mas contar uma história só pela história não tem muita graça. Apimentar o público com tórridos romances entre dois homens só funciona com gays - héteros não preconceituosos não vão achar muita graça. Um roteiro infelizmente sem profundidade para uma história que poderia render muito mais coisa. Mesmo a proposta de falar das várias formas de amor se perde. É chato dizer que a história é até até bonita, mas foi só barulho.

Nota: 5,0

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

A Trilha

A Perfect Getaway
(EUA, 2009) De David Twohy. Com Mila Jovovich, Timothy Olyphant, Kiele Sanchez, Steve Zahn, Chris Hermsworth e Marley Shelton.

Já tinha dado algumas notícias sobre a realização de "A Perfect Getaway" e estava intrigado para assistir ao filme desde então. Na primeira oportunidade em que tive uma folga fui assistir e confesso que sabia que o filme ia ser mais um daqueles manjadões, que voce sabe do final antes mesmo de assistir ao começo. Dito e feito. Como vi uma crítica dizer, "A Trilha" é um daqueles filmes que precisa se sustentar com uma reviravolta final. Ela até existe, mas só que as possibilidades são tão poucas que fica fácil para o espectador imaginar como o filme termina. O empolgante da situação é a ação que se deslancha apenas nos instantes finais e os personagens. Você se sente atraído pelo charme dos personagens centrais e se deixa levar pelo clima do Havaí. Mais uma daquelas diversões sem culpa, só que sem muito espetáculo.

Sinopse: Um casal (Zahn e Jovovich) decide passar a lua de mel no Havaí e começa a explorar o local. No meio da aventura eles encontram um outro casal (Olyphant e Sanchez), um tanto quanto mais liberal, e decidem seguir viagem juntos por uma trilha que leva a uma praia isolada e linda. Só que eles descobrem que há um outro casal de assassinos na ilha, que cometem brutalidades com outros casais que também estão na ilha. A partir daí, eles começam a desconfiar uns dos outros e ficam cada vez com os olhos mais abertos, prestando atenção nos movimentos dos companheiros.

Na história de "A Trilha" ainda aparece um casal extra, os "marrentos" caroneiros interpretados por Chris Hemsworth (o futuro Thor) e Marley Shelton, outro casal suspeito de serem os terríveis assassinos. Tudo é muito óbvio nesse filme, mas há uns pontos de diversão. Não sei se e o carisma dos personagens ou o visual do Havaí ou a edição do filme, sei lá. Alguma coisa prende o espectador até o fim do filme, mesmo que já se saiba tudo o que vai acontecer. Sem falar que é muito esquisito e diferente ver Mila Jovovich em um papel decente, sem ser um androide ou uma máquina de caçar zumbis. Não precisa assistir não, pode esperar sair no Supercine, mas fique à vontade pra ver quando passar.

Nota: 6,0

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

"Vampire" é uma das palavras do ano, diz pesquisa


Já pensou se o ano de 2009 fosse resumido em algumas palavras? Pois alguém pensou nisso. Uma pesquisa feita pelo instituto Global Language Monitor revelou as 15 palavras que mais foram ditas e que se destacaram no ano. Dentre as 15, o termo "vampire" aparece na quinta colocação.


Em primeiro lugar, aparece o termo "twitter", confirmando o suceso da ferramenta de microblogging no mundo todo. Em seguida vem os nomes "Obama", "H1N1", nome dado ao vírus da gripe suína e "Stimulus", nome relativo a fiscalização política americana.


Mas não é surpresa a inclusão do termo "vampire" na lista, afinal o ano de 2009 foi dominado pela megapopularização da "Saga Crepúsculo", com o lançamento do último livro da saga, "Amanhecer", com o lançamento do DVD do primeiro filme, "Crepúsculo" e com o lançamento nos cinemas do segundo filme, "Lua Nova", sem falar na popularização dos astros da franquia, Robert Pattinson, Kristen Stewart e Taylor Lautner.


"Vampire" também pode ser refletido em outras produções, como nas séries de TV "True Blood" e "The Vampire Diaries", assim como o livro que leva esse nome e em filmes como "Matadores de Vampiras Lésbicas", "Cirque Du freak: O Assistente do Vampiro" e "Deixa Ela Entrar".


Veja todas as 15 palavras classificadas pelo Global Language Monitor:

1-Twitter
2-Obama
3-H1N1
4-Stimulus
5-Vampire
6-2.0
7- Deficit
8-Hardron
9-Healthcare
10-Transparency
11-Outrage
12-Bonus
13-Unemployed
14-Foreclosure
15-Cartel

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Mostra DAVID LYNCH – O LADO SOMBRIO DA ALMA


A Mostra David Lynch – O lado sombrio da Alma vai exibir a obra completa de um dos diretores mais polêmicos do cinema mundial. São 40 filmes - todos os seus longas, curtas, filmes que ele só produziu, apenas atuou, as séries de TV, o material exclusivo para a internet, suas influências, comerciais para a TV, os filmes de sua filha (Jennifer Lynch), cineastas que o influenciou, documentários sobre ele e que ele participa.

O curador da mostra, Mario Abbade, conseguiu reunir todo o material que o cineasta já produziu em seus mais de quarenta anos de carreira artística no cinema e na TV. Com exceção dos longas-metragens, grande parte do material é inédita no Brasil e a maior parte não chegou a ser lançada em DVD no exterior. As matrizes são de VHS dos anos 80, 90, 2000 que, apesar da qualidade inferior, é uma oportunidade única para o público poder conhecer as multifacetas desse renomado artista contemporâneo.


Entre os destaques da programação estão O Homem Elefante, de 1980, segundo longa de Lynch e filme que o projetou internacionalmente; Coração Selvagem, vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes de 1990, quando Lynch já se consolidava como nome incontornável do cinema de autor americano; Cidade dos Sonhos, de 2001,
que continua a explorar com maestria seu universo cinematográfico particular e perturbador, e com o qual arrebatou prêmios importantes do cinema, como o de melhor diretor no Festival de Cannes e seu último filme, Império dos Sonhos, de 2006, todo realizado em câmera digital. Depois desse trabalho, Lynch anunciou que nunca mais iria trabalhar com película, pois no formato digital suas idéias não seriam mais limitadas.

Destaque também para os inéditos e poucos conhecidos do grande público:
Mystery Disc, On the Air, Hotel Room, Industrial Symphony N0. 1 (Espetáculo surrealista com a cantora Julee Cruise em meio a um jogo de cenas e de dança moderna), Ruth Roses and Revolver ( David Lynch escreveu e apresentou esse documentário sobre o surrealismo para o programa Arena da televisão britânica BBC), Lynch (One), Hugh Hefner (biografia sobre o dono da Revista Playboy), I Don't Know Jack, Dumbland, Dynamic 01: The Best of David Lynch.com, School of Thought (abaixo relação completa)

filmes da mostra:

- Curtas: Six Figures Getting Sick (1966), The Alphabet (1968), The Grandmother (1970) e Six The Amputee (1974), The Cowboy and the Frenchman (1988), Lumière et compagnie (1995), Darkened Room (2002) e Absurda (2007).
- Eraserhead (idem) de David Lynch (EUA, 1977).
- O Homem Elefante (The Elephant Man) de David Lynch (EUA, 1980).
- Os Beatniks (Heart Beat) de John Byrum (EUA, 1980). Com David Lynch (participação especial)
- Duna (Dune) de David Lynch (EUA, 1984).
- Veludo Azul (Blue Velvet) de David Lynch (EUA, 1986)
- Ruth Roses and Revolver (idem) de Helen Gallagher (EUA, 1987). Com David Lynch.
- Zelly & Eu (Zelly & Me) de Tina Rathborne (EUA, 1988). Com David Lynch.
- Hollywood Mavericks (idem) de Florence Dauman e Gale Ann Stieber (EUA, 1990). Com David Lynch
- Industrial symphony no 1 – The dream of the broken hearted (idem) de David Lynch (EUA, 1990).
- Coração Selvagem (Wild at Heart) de David Lynch (EUA, 1990).
- American Chronicles (TV) (idem) de Mark Frost, Robin Sestero, Ruben Norte, Greg Pratt e Marlo Bendau (EUA, 1990). Produção executiva de David Lynch
- The Cabinet of Dr. Ramirez (idem) de Peter Sellars (França/ Alemanha/ EUA/ Reino Unido, 1991). Com Mikhail Baryshnikov, Joan Cusack, Peter Gallagher e Ron Vawter. Musical. Lynch atuou como produtor executivo do filme, mas, como “Crumb”, apenas emprestou seu nome para apoiar e não teve qualquer envolvimento real com a realização do mesmo
- Twin Peaks (1990-1991) (TV) (Twin Peaks) de David Lynch e Mark Frost (EUA, 1990).
- Twin Peaks – Os últimos dias de Laura Palmer (Twin Peaks – Fire Walk with Me) de David Lynch (EUA, 1992).
- On the Air (TV) (idem) de (EUA, 1992). Dois episódios escritos por David Lynch
- Hugh Hefner: Once upon a time (TV) (idem) produção executiva David Lynch
- Hotel Room (TV) (idem) (1993). . O primeiro e o terceiro episódio são dirigidos por David Lynch, que também protagoniza o primeiro ao lado do ator Harry Dean Stanton
- Encaixotando Helena (Boxing Helena) de Jennifer Lynch (USA, 1993) (produção executiva David Lynch
- Crumb (idem) de Terry Zwigoff (EUA, 1994). apenas emprestou seu nome para apoiar e não teve qualquer envolvimento real com a realização do mesmo
- Nadja (idem) de Michael Almereyda (EUA, 1994). Participação especial de David Lynch
- A Estrada Perdida (Lost Highway) de David Lynch (EUA, 1997).
- Rammstein (idem) de David Lynch (EUA, 1997).
- Pretty as picture: the art of David Lynch (idem) de Toby Keeler (EUA, 1997). Com David Lynch
- A História Real (The Straight Story) de David Lynch (França/ Reino Unido/ EUA, 1999).
- Scene by Scene (TV) (Idem) de Mark Cousins (Reino Unido, 1999). Entrevista com David Lynch
- Cidade dos sonhos (Mulholland Dr.) de David Lynch (EUA, 2001).
- I Don’t Kown Jack (idem) de Chris Leavens (EUA, 2002). Com David Lynch
- Rabbits (idem) de David Lynch (EUA, 2002).
- Dumbland (Idem) de David Lynch (EUA, 2002). Com: todas as vozes são feitas por David Lynch.
- Commercials (Idem) de David Lynch (1981 a 2002). Filme Publicitário.
- Império dos Sonhos (Inland Empire) de David Lynch (França/ Polônia/ EUA, 2006).
- Dynamic:01: The Best of DavidLynch.com (idem) de David Lynch (EUA, 2007).
- Mais Coisas que Aconteceram (More Things that Happened) de David Lynch (França/ Polônia/ EUA, 2007).
- Lynch (One) (idem) (EUA, 2007). Com David Lynch
- Mystery Disc (idem) de David Lynch (EUA, 2008)
- Sob Controle (Surveillance) de Jennifer Chambers Lynch (EUA/ Alemanha, 2008).
- School of Thought (idem) de Tony Perri (EUA, 2009). Com David Lynch
- Transcendendo Lynch (Idem) de Marcos Andrade (Brasil, 2009). Documentário.

Material Extra – As Influências de David Lynch:

- Um Cão Andaluz - A Idade Do Ouro (Un Chien Andalou/L´Age d´Or) de Luis Buñuel e Salvador Dali (França, 1928).
- O Mágico de Oz (The Wizard of Oz) de Victor Fleming (USA, 1939).
- A Estrada (La strada) de Federico Fellini (Itália, 1954).
- O Iluminado (The Shinning) de Stanley Kubrick (Reino Unido/ USA, 1980).


Além da exibição dos filmes, todos os livros e CDs produzidos por Lynch estarão expostos na área do cinema da Caixa e, durante os intervalos das sessões, o público (portador do ingresso) poderá degustar o café orgânico produzido pelo diretor, especialmente importado para a mostra.

O evento conta ainda com uma mesa redonda sobre a obra de Lynch, com participação de José Wilker, Fernando Ceylão e Mario Abbade, terça, dia 15 de dezembro, na sala de cinema da Caixa.


Mostra David Lynch – O Lado Sombrio da Alma de 08/12 a 20/12
Caixa Cultural (Cinemas 1 e 2) Avenida Almirante Barroso, 25 - Centro - Rio de Janeiro Tel.: 21 2544-1019 (próximo a Estação Carioca do Metrô) Ingressos: R$ 4,00 e R$ 2,00