quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Sobre "Maluca Paixão"

Nesse carnaval assisti a muitos filmes que não dava nada por eles. Um exemplo é o filme "Jogo de Amor em Vegas", com a Cameron Diaz e o Ashton Kutcher. Divertidinho. Nada profundo. Horrivelmente previsível, mas o cinema é assim né. Daí fui eu me meter na tarefa de assistir ao filme bomba do ano, "Maluca Paixão", estrelado por Sandra Bullock e que está concorrendo ao Framboesa de Ouro de pior filme e pior atriz, além de outras categorias. Sabe quando você tem vergonha alheia? Foi o que eu senti assistindo a esse filme.

Pensar em razões para porque Sandra Bullock resolveu fazer esse filme é uma incansável busca por uma agulha em um palheiro. O filme começa do nada, não leva a lugar nenhum, traz a personagem mais chata da carreira da atriz (talvez da história do cinema)e ainda quer nos convencer a amar aquela criatura! Claro que há os seus momentos engraçados, mas eles são baseados no nada sólido e consistente que rodeia todo o longa.

Para quem ainda não sabe sobre o que se trata o filme: Bullock é uma mulher que todos consideram esquisita porque ela sempre fala demais e sabe todas as respostas de tudo. Mas também pudera, sua personagem, Mary, é a responsável por criar as palavras cruzadas de um jornal. Fora isso, ela ainda usa um par de (horrendas) botas vermelhas. Seus pais a colocam em um encontro às escuras com o filho de um casal de amigos, Steve, e é o que basta para Mary começar sua obsessão. Ela inventa um jogo de palavras cruzadas insolúvel, já que todas as lacunas são de coisas relacionadas a Steve ("All About Steve", como sugere o título original). Com isso, Mary perde o emprego e começa a caçar Steve, que é cameraman de um telejornal, por todos os cantos onde ele esteja.

Pode ser mesmo que Sandra Bullock leve pra casa o Framboesa de pior atriz e o Oscar de melhor atriz no mesmo fim de semana. Mas ela até que merece o premio já que entrou conscientemente nessa roubada - Bullock é uma das produtoras do filme.Não é nem o fato de Mary ser obsessiva o ruim do filme. É a forma como todas as outras pessoas agem também. Não só Bullock está um caco no longa, como Bradley Cooper está bem aquém do cara que fez "Se Beber, Não Case" e até Thomas Haden Church passa como um completo imbecil. Na verdade, acho até que só uma atriz do calibre de Bullock poderia interpretar assim tão pifiamente.

Como Sandra Bullock fez "A Proposta", "Um Sonho Possível" e esse lixo no mesmo ano, nunca saberemos. Poderia estar entre os segredos que a Unidos da Tijuca levou para a avenida no Carnaval. Dá vergonha, sério.

Um comentário:

cineamador disse...

Com pouco dessa sinopse apresentada por voce, percebi o quanto o roteiro é fraco mesmo.