sábado, 20 de fevereiro de 2010

Um Olhar do Paraíso - A Decepcionante Crítica

The Lovely Bones
(EUA, 2009) De Peter Jackson. Com Saoirse Ronan, Mark Wahlberg, Rachel Weisz, Susan Sarandon e Stanley Tucci.

Vamos lá. Um dos primeiros livros que li quando comecei a me interessar por livros foi um romance escrito por Alice Sebold chamado "Uma Vida Interrompida - Memórias de um Anjo Assassinado". Foi o primeiro livro que minha mãe me deu então ele tem um significado muito especial. Além do valor sentimental, a história de Susie Salmon, como o peixe, mexeu tanto comigo que o livro se tornou um dos meus favoritos para todo o sempre. Então, qual não foi a minha felicidade e alegria saber que o livro não só iria ser adaptado para os cinemas, como o seria feito por Peter Jackson, o homem que tinha acabado de ganhar uns 17 oscars pela franquia "O Senhor dos Anéis". Hoje, após assistir a "Um Olhar do Paraíso", me senti traído pela arte que mais amo.

Susie Salmon, 14 anos, foi assassinada brutalmente pelo seu vizinho, Mr, Harvey. Só que todos os vestígios sobre o crime sumiram e a polícia encerra as buscas por falta de indícios. O pai de Susie enfrenta uma crise na sua família após a morte da garota, mas mesmo assim não desiste de lutar para achar o culpado com a ajuda da filha Lindsay, enquanto Harvey continua a solta e com mais insegurança, à medida que os Salmon se aproximam da verdade. Enquanto isso, Susie se encontra entre a Terra e o Paraíso, em algum lugar em que ela observa sua família se destruir e se recompor à medida que ela tenta ajudar como pode à resolver o mistério da sua morte. A ajuda pode vir de Ruth Connor, uma garota sensitiva que todos acham esquisita e que começa a se aproximar de Ray, o garoto que gostava de Susie quando ela era viva. Susie só pode partir mesmo para o céu quando nada mais a prender na Terra.


Lindo, né? Até seria se A HISTÓRIA DO LIVRO NÃO FOSSE NADA DISSO AÍ!!!! É essa a parte mais revoltante. Pegaram a história de superação da dor, de luta pela verdade e de valores familiares que eram tratados no livro e transformaram em um trhiller policial sem sentido! Sem falar que toda a parte do céu está distorcida e o filme enfoca muito mais os desdobramentos (pífios, por sinal) da investigação policial feita pelo pai de Susie do que na família em si. Foi cortada inclusive a parte do assassinato de Susie, descrito com rigor de detalhes, além do estupro que a menina sofreu antes. Podiam ter cortado tudo, menos isso.


Falando do filme isoladamente, ele é meio confuso. A montagem é muito doida e às vezes dá pra se perder no enredo se não estiver prestando bem atenção. As cores berrantes do céu de Susan, que não fica claro se é mesmo o céu dela ou se o céu é assim pra todos (?!), são um misto de psicodelia que vão e voltam ao bel prazer da história. As atuações de Rachel Weisz e Susan Sarandon ficam bem aquém do esperado, elas são quase nulas. Mark Wahlberg, bem, é Mark Wahlberg. Stanley Tucci até que consegue se destacar como Mr. Harvey, o tenebroso assassino, mas não a ponto de ganhar uma indicação ao Oscar, eu acho. Na verdade, esperava até bem mais justamente por causa dessas indicações que ele recebeu. Saoirse Ronan desempenha bem o seu papel e sempre achei que ela seria uma ótima Susie Salmon e, até foi.

O problema não foi nem dela não. Foi do inconsistente roteiro escrito por Jackson com sua parceira Phillipa Boyens, que mal lembrava o original de Alice Sebold. Só pra quem quer saber: Susie é estuprada, Abigail Salmon vai embora de casa e só volta anos depois, o corpo de Susie é retalhado, trancado no cofre e jogado no sumidouro bem no começo da história. o cão da família acha um pedaço do corpo de Susie no milharal, Susie, aliás, vive no seu próprio céu particular onde ela encontra algumas pessoas mortas mas e não outras pessoas assassinadas por Harvey, Holly não é o anjo da guarda dela, é só uma amiga e, por Deus, Lindsay não encontra todas as provas cabais assim do nada na casa de Harvey... e isso é só o que eu lembro. Ah, Ruth Connors, a garota esquisita, é mais importante do que se pensa.

Quer saber mais de "Uma Vida Interromida"? Leia o livro, porque o filme infelizmente não vale tanto a pena. Méritos para Saoirse Ronan e Stanley Tucci. Penalidades para Peter Jackson que preferiu colocar "King Kong", o finado "Halo" e "Distrito 9" como prioridade antes do filme.

Acho que vou ler meu livro de novo.

Nota: 5,0

Um comentário:

Ruth Connors disse...

nossa, estava faltando uma voz pra se somar à minha...